Empresas da América Latina dizem que ESG é importante em programas de antissuborno e corrupção, mas cria mais desafios que benefícios

O Relatório Benchmarking Antissuborno e Corrupção de 2021 da Kroll revela que 64% dos entrevistados latino-americanos indicaram que o ESG cria mais desafios do que benefícios para a gestão de compliance

São Paulo – A Kroll, líder mundial de produtos e serviços digitais relacionados a governança, risco e transparência, publicou a edição 2021 do Relatório de Benchmarking Antissuborno e Corrupção. Entre os dados, o estudo mostra que 84% dos entrevistados latino-americanos acreditam que a área de sustentabilidade ambiental, social e de governança corporativa, ou ESG (Ambiental, Social e Governança), deve ser incluída nos programas antissuborno e corrupção. Porém, apenas 62% dos entrevistados indicaram que o ESG já está incluído no programa de suas organizações.

A pesquisa, formulada com base nas respostas de 200 dos mais reconhecidos profissionais de alto nível das áreas de compliance e risco do mundo, traz uma perspectiva única sobre o cenário global da luta contra o suborno e a corrupção em 2021.

Pelo levantamento, é possível observar que os pilares de ESG ganharam destaque nos últimos anos, à medida que empresas e investidores reconhecem que não podem mais ignorar os processos internos de seus parceiros de negócios. No entanto, apesar da maioria dos entrevistados concordar que o ESG deve fazer parte de programas de compliance e que programas anticorrupção e suborno (ABC) criam oportunidades de boa governança, 54% dos entrevistados globalmente indicaram que o ESG cria mais desafios do que benefícios para a área de compliance. Na América Latina, esse número é ainda maior, 64%.

Segundo a pesquisa, os executivos de compliance na América Latina atualmente avaliam seus programas como eficazes (54%). No entanto, 84% dos entrevistados consideram que a função desta área assumirá maiores responsabilidades em 2021.
 
A nova realidade do trabalho remoto e a crescente interconectividade digital criaram uma infinidade de riscos para todos os aspectos de uma empresa, e para a área de compliance não foi diferente. Dos profissionais latino-americanos, 48% acreditam que a segurança cibernética e as violações de dados são as principais razões para o aumento dos riscos, ressaltando a importância da prevenção cibernética e das plataformas tecnológicas seguras.

"Os resultados da nossa pesquisa destacam as responsabilidades crescentes dos executivos de compliance, impactadas pelo teletrabalho, interrupções da cadeia de suprimentos e outros desafios", afirma Steven Bock, líder global de risco de compliance e diligência da Kroll. "Conforme os programas de ABC continuam a evoluir, a necessidade de fazer bom uso da tecnologia, incluindo processos automatizados para due diligence, nunca foi maior", completa.

Os consultados na pesquisa identificaram vários desafios no processo de due diligence, os quais a automação, incluindo inteligência artificial (IA), pode ser capaz de resolver. Os três atributos mais valiosos da tecnologia de automação são: uma plataforma centralizada, encontrar as informações mais relevantes e melhorar a qualidade da due diligence.

Embora apenas 48% dos entrevistados latino-americanos atualmente usem a automação para ajudar em due diligence, 54% esperam incorporá-la nos próximos 12-36 meses, provando que há valor em usar a tecnologia para resolver alguns dos pontos problemáticos. Os resultados de nossa pesquisa deixam uma coisa clara: a função de compliance para proteger suas organizações contra riscos nunca foi tão vital.

Michael Watt, diretor administrativo associado da Kroll, comenta que o uso racional, inteligente e eficiente de espaço, energia e tecnologia demanda que não apenas os núcleos, mas toda a cadeia de produção, com seus mais variados fornecedores, lancem mão de ações de due diligence de ética e sustentabilidade. “O ESG não veio como uma onda: veio para ficar. Investir no tema é não ser ultrapassado em um cenário de negócios em que os consumidores também já cobram esse tipo de princípio de suas marcas”, afirma.

Confira mais insights que a pesquisa traz:

  • 54% dos entrevistados da América Latina classificariam seus programas ABC como altamente eficazes.
  • Enquanto 76% dos entrevistados da América Latina sentiram que tinham tecnologia suficiente para enfrentar os desafios atuais, apenas 48% estavam usando uma solução automatizada para auxiliar no processo de due diligence.
  • 46% dos entrevistados em todo o mundo indicaram que a segurança cibernética e as violações de dados são a principal razão para o aumento do risco.

Metodologia
A Kroll encomendou uma pesquisa com 200 profissionais de alto nível de todo o mundo para obter uma perspectiva única sobre as expectativas dos programas globais de antissuborno e corrupção em 2021 e catalogou os resultados para criar o Relatório de Benchmarking Antissuborno e Corrupção (ABC) de 2021. A investigação foi conduzida por meio de uma pesquisa anônima realizada em janeiro de 2021.

Sobre Kroll
A Kroll é a fornecedora líder mundial de produtos e serviços digitais relacionados a governança, risco e transparência. Trabalhamos com clientes de vários setores nas áreas de avaliação, serviços especializados, investigações, cibersegurança, finanças corporativas, reestruturação, soluções jurídicas e de negócios, análise de dados e compliance regulatório. Nossa empresa possui cerca de 5.000 profissionais em 30 países e territórios ao redor do mundo. Para obter mais informações, visite www.kroll.com/brasil.

2021-07-06T00:00:00.0000000 0001-01-01T00:00:00.0000000 /pt-br/quem-somos/noticias/empresas-da-america-latina-dizem-que-esg-e-importante-em-programas-de-antissuborno-e-corrupcao /pt-br/-/media/kroll/images/news/featured-images/esg-important-abc-programs-creates-more-challenges-than-benefits.jpg news {1296D7F8-84BE-497D-ADED-B8290E0420E4} {F1CA5B85-3B18-468E-8FF4-CE709B3AE530}

Serviços Relacionados

Compliance

Implementação de políticas e controles, monitoramento de riscos e prevenção à lavagem de dinheiro.

Compliance

Due Diligence

Due diligences reputacionais, com acesso a informações nacionais e internacionais.

Due Diligence

Notícia