Glen E. Harloff é diretor administrativo da Kroll em Miami (EUA), América Latina e Caribe. Ele é especialista em contabilidade forense, investigações, consultoria em litígios e due diligence financeira. Glen tem vasta experiência em prevenção, detecção e investigação de fraudes relacionadas a áreas como insolvência/falência, comissões secretas e investigações internas. Glen rastreou e protegeu ativos relacionados a ganhos gerados por crime/lavagem de dinheiro na América do Norte, Caribe, Europa, Ásia e África. Ele testemunhou em processos cíveis e criminais e deu palestras em empresas, escritórios de advocacia e outras instituições sobre assuntos relacionados a fraudes.

Antes de se juntar à Kroll, Glen fez parte da Real Polícia Montada do Canadá (RCMP), seção de crimes comerciais de Toronto, na qual realizou investigações nacionais e internacionais complexas sobre crimes de colarinho branco. Durante seu período de trabalho na RCMP, ele foi destacado para atuar no grupo de auditoria corporativa de um banco canadense importante, no qual realizou auditorias de todos os aspectos das operações bancárias nacionais e internacionais, inclusive negociação de valores mobiliários, câmbio, transferências bancárias, operações de cartões de crédito e administração de empréstimos. Ele foi vice-presidente de investigações forenses da PricewaterhouseCoopers LLP de 1996 a agosto de 2001 e diretor do LECG Canada Limited Forensic Investigations Group de setembro de 2001 a abril de 2007.

Glen é Contador Geral Certificado (Certified General Accountant, CGA), membro fundador e ex-presidente da Associação Canadense de Investigadores Forenses Certificados (Canadian Association of Certified Forensic Investigators, CFI), ex-presidente da Associação de Examinadores de Fraude Certificados (Certified Fraud Examiners, CFE) e diretor da Autoridade de Granada para a Regulamentação de Instituições Financeiras (Grenada Authority for the Regulation of Financial Institutions, GARFIN) desde 2009.

Experiência profissional

First International Bank of Grenada.
Banco "offshore" licenciado em Granada que declarou ativos de US$ 65 bilhões e foi colocado em liquidação comercial. Indivíduos do Canadá, Reino Unido, Estados Unidos e de outros países tinham depositado fundos no banco com base no anúncio de retornos anuais de 100% e garantia total dos depósitos. A investigação forense identificou que o capital, os ativos e os investimentos do banco foram adulterados e que o banco estava operando um esquema Ponzi (pirâmide financeira). A análise do fluxo de caixa identificou ativos no Caribe, nos Estados Unidos e na África, alguns dos quais foram posteriormente apreendidos e confiscados.

Instituição financeira, Granada.
Ele participou da condução de uma investigação sobre o suposto desvio de fundos de aproximadamente US$ 1 milhão sofrido pela instituição financeira. A investigação identificou o funcionário responsável pelo desvio, além de terceiros envolvidos no esquema. Os fundos foram rastreados até uma conta no Reino Unido e foram tomadas medidas para a recuperação da quantia. As provas foram preparadas e apresentadas ao RGPF para o subsequente processo criminal do funcionário. Os controles internos também foram analisados e foram dadas recomendações para reduzir o risco de outros desvios.

Instituição financeira, Granada.
Glen analisou o portfólio de empréstimos comerciais de uma instituição financeira de Granada, mais especificamente os empréstimos inadimplentes. Durante o processo de análise, Glen se reuniu com vários mutuários para rever históricos financeiros, despesas, receitas projetadas, orçamentos e projeções de fluxo de caixa. Como resultado foram dadas recomendações à instituição financeira sobre estratégias de tolerância e foram desenvolvidas estratégias com os mutuários para melhorar a capacidade de saldar a dívida.

Capital Bank International Limited (em concordata), Granada.
Desde fevereiro de 2008, Glen tem auxiliado o liquidante na colocação do Capital Bank em concordata, realizando uma análise completa dos registros financeiros do banco e apresentando relatórios ao tribunal. Nos últimos seis anos, Glen supervisionou a administração e as operações do banco, inclusive a cobrança de empréstimos, as execuções de hipotecas e outras operações.

Corporação privada, Barbados.
Contratado por uma empresa privada para realizar uma análise de políticas e procedimentos relacionados à recepção, à autorização e ao processamento de despesas. Essa análise incluiu uma revisão completa dos gastos durante um período de três anos. Por meio de análises analíticas de dados, as tendências de gastos foram identificadas e investigadas. Além disso, foram analisadas as políticas e os procedimentos atuais em comparação com as melhores práticas do setor e foram dadas recomendações para melhorar tais políticas e procedimentos.

Instituição financeira, Trinidad.
Uma violação das políticas e dos procedimentos da instituição financeira resultou em uma apropriação indébita de aproximadamente US$ 7 milhões. Glen realizou a investigação para analisar os registros financeiros, as políticas os procedimentos, entrevistar o pessoal e outras etapas de investigação. Como resultado, as pessoas da instituição financeira foram identificadas como responsáveis pela apropriação indébita e o assunto foi encaminhado à polícia. Glen ajudou a instituição financeira a recuperar os fundos em outros países e também recomendou mudanças nas políticas e nos procedimentos para reduzir o risco de uma nova ocorrência.

Instituição financeira em São Vicente e Granadinas.
Realizou uma análise forense das operações de um banco caribenho, inclusive a conduta da gerência sênior e de outros funcionários. A análise identificou a incidência de fraude, roubo, irregularidades em empréstimo, lavagem de dinheiro e outras irregularidades. Foram dadas recomendações ao conselho de administração do banco para solucionar as deficiências do controle interno, cumprir as diretrizes sobre lavagem de dinheiro, demitir funcionários por justa causa e abrir processo litigioso contra ex-membros da gerência sênior.

Análise de fraudes em valores mobiliários, Canadá.
Contratado por uma empresa de valores mobiliários no Canadá para analisar as operações do departamento administrativo nos últimos dois anos. A empresa tinha sido vítima de fraude interna que resultou na apropriação indébita de fundos superiores a US$ 1 milhão. A análise da fraude inclui uma revisão dos procedimentos de recebimento e desembolso de valores mobiliários, análise dos procedimentos operacionais de negociação, autoridade de acesso às contas de clientes, contas inativas, etc. A análise identificou problemas significativos quanto ao acesso ao caixa e à segregação de tarefas. Foram dadas recomendações para atualizar e melhorar as políticas e os procedimentos.

Mineradora.
Contratado por advogados que representavam o comitê especial do conselho de administração de uma mineradora de capital aberto com operações na Colômbia. A investigação se relacionava a alegações de conflito de interesses na compra e venda de ativos da empresa, propinas, apropriação indébita de fundos e irregularidades nas despesas. A investigação incluiu a análise dos registros financeiros e dos contratos, a investigação de entidades "offshore" e outras etapas investigativas. Foram abertos processos cíveis contra a administração anterior da empresa que resultaram em acordos judiciais no início dos processos.

Banco "offshore" em São Vicente e Granadinas.
Realizou uma investigação forense referente a alegações de fraude em investimentos. Glen revisou e analisou os investimentos, os registros bancários, os contratos e outras correspondências. Como resultado da análise, ele conseguiu rastrear os fundos desviados dos investidores para uma conta bancária nas ilhas Bermudas, onde os fundos tinham sido bloqueados. Glen testemunhou na Suprema Corte das Bermudas sobre o rastreamento e a posterior dissipação de alguns fundos, participando, assim, dos processos cíveis instaurados pelos investidores contra o banco.

Corporação de capital aberto.
Contratado por um advogado para realizar uma investigação forense de alegações de má conduta por parte de ex-diretores e ex-gerentes da empresa. Glen revisou e analisou os investimentos, as partes relacionadas e outras contas e identificou irregularidades, inclusive o depósito em contas da empresa para investimentos pessoais e a transferência de fundos para contas "offshore" nas Bahamas. Foram abertos processos cíveis contra ex-diretores e ex-gerentes, resultando em um acordo judicial.

Investigações de valores mobiliários.
Realizou a análise forense de uma corretora canadense e foram identificadas irregularidades relacionadas a front running (obtenção ilegal de informações financeiras antecipadas), churning (aumento exagerado na compra e venda de títulos), apropriação indébita de fundos de clientes e outras irregularidades comerciais.

Mineradora, México.
Realizou uma análise forense de uma mineradora de capital aberto com relação a alegações de transações de partes relacionadas, conflitos de interesses, comissões secretas e irregularidades em despesas. A investigação resultou na identificação de irregularidades significativas e fornecedores fraudulentos, além de outras irregularidades. As recomendações resultaram na reelaboração de políticas e procedimentos de compras.

Formação, certificações e reconhecimentos
  • Bacharel em Ciências – University of Guelph
  • Contador Geral Certificado (Certified General Accountant, CGA)
  • Associação Canadense de Investigadores Forenses Certificados (Canadian Association of Certified Forensic Investigators) – Prêmio por realizações na carreira

Afiliações profissionais
  • Canadian Association of Certified Forensic Investigators
E. Harloff /pt-br/especialistas-da-kroll/glen-e-harloff /pt-br/-/media/kroll-br/images/headshots/glen-harloff.ashx people {4313BE62-CFF6-4B37-966A-BFC80010F204}

Publicações

Notícia